segunda-feira, 21 de outubro de 2013

As Flores do Dr. Bach

"O Doutor Bach observou, por exemplo, que as sementes da flor Impatiens explodem violentamente e relaciona isso com à irritabilidade que acomete algumas pessoas. Nesse caso, o floral transmite uma mensagem de calma" explica Julian Barnard, que há 35 anos se ocupa em dividir e republicar as descobertas de Bach, segundo a revista bons fluidos, de setembro de 2013.


É dessa maneira simples que as flores curam as mazelas da alma. Através da Lei da Assinatura, que compara os problemas emocionais vividos pelas pessoas com a forma e características de vida da flor, a ação dos remédios florais tem como foco os sintomas emocionais apresentados pelas pessoas.


Edward Bach foi um médico homeopata bem sucedido que viveu entre 1886 e 1936. Fundou a Healing Herbs, fabricante das 38 essências florais descobertas por ele. Na sua pesquisa, descobriu que as flores carregam uma mensagem perceptíveis por nós, colocando-nos novamente em harmonia com a nossa essência interior.

Considerando que o estado emocional e mental influenciam na saúde humana, Bach observou em seu trabalho no hospital que pessoas com os mesmos problemas físicos respondiam diferentemente aos tratamentos dependendo de seus estados emocionais e mentais. A partir dessa constatação passou a "tratar a pessoa" e não a doença. "Isso não requer qualquer ciência, apenas um pouco de conhecimento, compaixão e compreensão da natureza humana, coisas que quase todos nós possuímos", assim disse Edward Bach em palestra pública no dia 24 de setembro de 1936.



Atualmente, os florais são reconhecidos como método instrumento de trabalho terapêutico pela OMS, considerados remédios vibracionais e devem ser entendidos como expressão de uma forma de pensar, sentir e atuar. Pesquisas recentes apontam que o uso dos florais têm influência positiva significativa em problemas como transtornos de ansiedade, depressão, insônia, problemas respiratórios, hipertensão, comprovando a sua eficácia.


Por ao redor do mundo, em circular!

 Liberdade. Sina destinada ao povo cigano, que há muito tempo percorre o mundo em seus movimentos circulares. Desde os tempos passados, quando saíram da Índia rumo ao ocidente, os ciganos preservam sua identidade circular. É possível observar a sua relação com o círculo, a geometria básica do universo, na sua trajetória pelo mundo ao longo dos tempos, na disposição dos acampamentos, nas relações interpessoais onde todos são colaborativos em suas devidas funções e na arte composta pela sua música e dança.


Essa sina talvez não tenha sido uma opção, é muito mais provável que tenha sido uma imposição de outros povos daquela época. E assim surgiu um tal grupo nômade, que ao vagar pelo mundo enriqueceu de sabedorias e contribuiu para a formação de diversas outras culturas. Certamente, é bem menos romântico pensar nas adversidades sofridas, no entanto sempre saltou aos olhos gadjós (não-ciganos) suas roupas coloridas, a intensidade de suas emoções, culinária, música, dança, encantaria. 

O nomadismo conferiu ao ciganos uma forte ligação com a natureza e o respeito aos ciclos de tempo. A observação da lua, dos ventos, o aproveitamento e utilização dos alimentos, ervas e flores, são exemplos de conhecimentos que os ciganos carregam em suas caravanas pelo mundo, hoje em dia bem mais modernizadas!

E quando o sol descansa para reinar o luar, costuma-se ascender a fogueira que, além de aquecer e aconchegar momentos de dança e música, proporciona a transmissão de contos e legados. Assim, os velhos convivem com os jovens, as crianças brincam e as mulheres bailam. Suas saias coloridas e rodadas a girar movimentam o ar e novamente nos deparamos com o movimento inerente a circular.


sábado, 5 de outubro de 2013

Flores e Curas II

Girassol



Planta originária da América do Norte, tem a propriedade de ser heliotrópica, ou seja, gira o caule sempre posicionando a flor na direção do sol. Daí seu nome ser Girassol, Helianthus (sistema Floral de Minas). Ser o sol de si mesmo, brilhante como o amarelo e cheio de sementes, essa flor vem nos auxiliar no equilíbrio entre o interno e o externo, a razão e a emoção, a cabeça e o coração. Realça a clareza do propósito aumentando o poder pessoal, pois essa planta tem a representação arquetípica do elemento masculino. Sua palavra chave é confiança! "Não importa o quanto às vezes seja difícil, o quanto às vezes eu me atrapalhe, o quanto às vezes eu seja a densa nuvem que esconde o meu próprio sol, quantas vezes seja preciso recomeçar: combinei comigo não desistir de mim." - Ana Jácomo

Camélia

A Camélia é uma flor do oriente que pode apresentar-se em várias cores, sendo as amarelas as mais raras. Essa flor vem nos falar de amor e do sentimento de inadequação que surge na alma quando não nos identificamos com ninguém. Sendo o sentimento mais nobre que o ser tem, o amor muitas vezes pode ficar encoberto por ódio, medo, culpa, desconfiança, ganancia, malícias, amarguras... E por aí vai... A Camélia desperta a vontade de amar em cada indivíduo impulsionando-o a viver a partir do despertar do auto-amor!




Bougainvillea

Planta brasileira que ficou famosa ao ser levada à Europa, por volta de 1790, por um francês que a nomeou com seu sobrenome. Também conhecida como Primaveras, as flores podem ser nas cores branca, rosa, vermelha e alaranjada. Gosta de muito sol. A essência dessa flor age nos focos de tristezas e amarguras arraigadas pelo tempo que nos colocam em desgaste emocional e até físico. Bougainville realça a criatividade fazendo transparecer a beleza interior. Favorece o contato com a revelação das contrapartes luminosas do ser, auxiliando-o a romper bloqueios e limitações!







Hibisco

Hibisco é uma planta asiática, símbolo do Havaí pela sua graça e beleza. Essa flor há muito tempo é usada para diversos fins medicinais, gastronômicos e ornamentais. O chá é bom para emagrecimento, combate o envelhecimento e faz muito bem ao coração, pois é rica em flavonoides. Muito usada em rituais para atrair amor e boa sorte por ser dedicada à Deusa Vênus. A essência floral de Hibisco resgata o calor afetivo e a expressão da sexualidade. Favorece os relacionamentos em geral, pois deixa o indivíduo mais receptivo ao convívio com as pessoas. Equilibra as forças sexuadas da alma potencializando a capacidade de criação!



Malva

Considerada uma erva daninha essa planta, desde a antiguidade, vem sendo utilizada em tratamentos para o aparelho digestivo, infecções urinárias e ginecológicas, além de tratar inflamações na boca e gengivas. A essência floral é muito útil para os temperamentos agitados e controladores que somatizados no físico se manifestam e sintomas inflamatórios e infecciosos. Traz calma e disposição para vencer os desafios, favorece a criatividade e resgata a fé interior!





Dente de Leão (taraxacum officinale)

Essa planta é natura da Europa e disseminada pelo mundo cresce até mesmo entre fendas no asfalto. Rica em minerais, esteróis e flavonoides, ajuda no combate da diabetes e facilita a digestão. Estimula a a secreção biliar por isso é indicada para tratamentos de hepatites. Indicada para pessoas criativas, idealistas e cheias de fervor agindo como depurativo do sangue. Facilita a expressão das emoções, pois refina a alma com a realidade externa quando há dissociação entre os pensamentos, sentimentos e atitudes. Resgata o sentimento de alegria observado na simplicidade da vida!




Gardênia

Esta linda flor é originária da China e desde tempos antigos é oferecida por pessoas que querem demonstrar seus sentimentos de doçura e amor. Indicada para quando os relacionamentos estão desgastados, onde a comunicação é falha ou indireta, essa flor renova o sentimento de paixão naqueles que estão demasiados ocupados no seu mundo pessoal (seja ele profissional) e por isso os sentidos de percepção do outro estão prejudicados. Se usada em aspersão no ambiente ativa a sensualidade, o toque e o carinho, pois favorece o espírito de presença plena no relacionamento!

terça-feira, 1 de outubro de 2013

A Dança

A Dança: criação e ritmo em permanente mudança, tal como nós!

A final, de que dança estamos falando? Daquela bailada, cantada, suada... Daquela cujo movimento expressa a emoção e chamamos de arte... Daquela que observamos nos animais, vegetais e astros do céu...
Tudo é dança, porque tudo é movimento.
Do ritmo nasce a ordem, que numa repetição, mesmo sem repetir, transcende no tempo a manifestação física da energia inquieta.
De um pólo a outro, entre um passo e outro, buscamos a si e encontramos o outro.
O um e o dois, mas também, pode ser três, quatro e assim por diante, nos números contém a harmonia.
E pela geometria da dança seguimos representando a magia do equilíbrio expressada no som e nos corpos que compõe o universo!