Benefícios da Dança

"Dançar é movimento, dançar é cultura, dançar é arte.
Dançar é nos religar ao primitivo, deixar fluir.

Dançar é conectar-se aos nossos vários corpos:
Físico, emocional, mental e espiritual.

Dançar é expressar aquilo que não se consegue dizer.
Dançar é pertencer, ter identidade, ser como é.

É estar no tempo e no espaço ao mesmo instante.
É individual ou coletivo.

Um caminho a ser criado.
Ou um sonho a ser vivido."
Caroline Klipel



" Dançar ao som de uma música que você nunca ouviu, um novo elemento, sob os olhares de mestras na dança... dá uma certa insegurança... mas estar entre amigos, almas irmãs, nos liberta disso tudo e nos permite este mergulho que nos inspira a sentir que quem dança é nossa alma..." Carmem Rosca, Grupo Shuvanis



"A dança é a mãe das artes. A música e a poesia existem no tempo; a pintura e a escultura no espaço. Porém a dança vive conjuntamente no tempo e no espaço. O criador e a criação, o artista e sua obra, nela são uma coisa única e idêntica. Os desenhos rítmicos do movimento, o sentido plástico do espaço, a representação animada de um mundo visto e imaginado, tudo isso é criado pelo homem com seu próprio corpo por meio da dança, antes de utilizar a substância, a pedra e a palavra para destiná-las à manifestação de suas experiências exteriores." Autor Desconhecido


"Na dança conhecemos a história, resgatamos costumes, realçamos valores e expressamos nossos sentimentos mais verdadeiros. Muito além que colocar o corpo em movimento, quando dançamos nos entregamos à divina criação, ou seja, nos conectamos com nosso Deus interior. Pelos passos da dança aprendemos a construir o caminho, que vai, no ritmo do tempo, dar forma a beleza da vida!" Caroline Klipel


A roda que gira e balança,
Nos une em cada lado,
Em cada passo nos integra e completa.
A roda que gira e balança,
Me contagia,
Me traz companhia, me retira da dor.
A roda que gira e balança,
É ela que nos transforma,
Na cor da alegria, com magia, em flor! Caroline Klipel

video


Fazemos parte de um bordado infinito.
Pontos que se cruzam.
Linhas de seda coloridas como dançarinas,
aparentemente delicadas e frágeis para os olhos dos mortais.

Firmes e flexíveis no seu intimo, contrastando com o fundo neutro do cotidiano.
Fibras entrelaçadas juntando os caminhos
......ás vezes se cruzam por momentâneos pontos de enlaçamento,
outras caminham paralelas durante toda a trama da vida.

Mas, sempre entrelaçadas, polarizadas e dirigidas por uma artesã maior,
que chamam de Deusa, Divina Mãe ou "Vieja Pachamama".
O trabalho é imponente porque todos os fios dançam na mão da artesã invisível,
que impulsiona nossas almas nas tramas da vida.